Lésbicas superam preconceitos e apostam em casamento no Amapá

Mulheres contam que muitos chegaram a se afastar ao saber da união. Casamento está marcado para o dia 3 de outubro, num cartório em Macapá.

Publicado em 02/10/13 às 10:07

Por Graziela Miranda

Rocka Marques e Sinara Picanço aguardam o casamento. (Foto: Graziela Miranda)

Foto: Graziela Miranda

Rocka Marques e Sinara Picanço aguardam o casamento.
A estudante Sinara Picanço diz estar ansiosa para a chegada de quinta-feira, 3 de outubro. Para esta data, ela espera uma comemoração dupla. 'Vou comemorar os meus 34 anos de vida e o casamento com o meu amor'. Sinara vai oficializar a união civil em um cartório de Macapácom a companheira, a radiologista Rocka Marques, de 47 anos.

As duas estão se programando para uma comemoração íntima e em local não revelado, após a cerimônia oficial.

Apesar da alegria que afirmam estar sentindo, o casal de lésbicas garante que muitos obstáculos já tiveram de ser vencidos nos 3 anos de namoro entre as duas.

"Apesar de o clima atual ser de alegria, nós, aos poucos, vencemos muitos obstáculos, como a não aceitação do casamento por parte de algumas pessoas. Infelizmente, muitos amigos nossos não aceitam isso e muitos chegaram a se afastar da gente quando souberam que estamos juntas”, lamentou Sinara.

Sobre a aceitação da família, Rocka disse no seu caso os parentes ficaram retraídos quando souberam da oficialização. “Algumas pessoas falaram para mim que é melhor continuar como está. Mas eu não quero. Eu sonho em me casar, assim como qualquer outra pessoa. Já que eu tenho esse direito, quero concretizá-lo”, disse.

Apesar de serem noivas e estamparem as alianças como símbolo de compromisso, Sinara e Rocka ainda não moram juntas. A radiologista é mãe de uma menina adotiva. Ela conta que a filha está aceitando a ideia e sempre soube que tinha mais de uma mãe. “Sempre tratamos dessa forma. Ela encara muito bem a minha opção(sic)”, revelou.

A estudante e a radiologista contam que já tiveram relacionamentos com outras pessoas do mesmo sexo. Rocka disse que já viveu uma união estável com alguém e que considera o casamento uma grande conquista. “Finalmente fomos olhados. Somos iguais às outras pessoas. Nós também sonhamos em nos casar. E isso vai se concretizar e vamos viver como qualquer outro casal, e respeitando as pessoas. Estamos muito felizes”, comentou.
 
Encontre-nos no Google+