Ministro dos Esportes da Rússia diz que lei antigay poderia 'ter esperado'

Vitaly Mutko cita a repercussão negativa da medida do governo no Ocidente e diz que o banimento à 'propaganda gay' poderia ter sido confirmado após Sochi 2014.

Publicado em 19/11/13 às 22:12

Do Gay1 Esportes

Foto: AFP

Vitaly Mutko, Ministro dos Esportes na Rússia, deixa escapar crítica à lei 'antigay'.
Apesar de todo o esforço do governo russo para conter os protestos à polêmica lei 'antigay', até o Ministro dos Esportes do país deixou escapar uma crítica às restrições da chamada “propaganda gay”. Em entrevista ao jornal “RBK”, Vitaly Mutko afirmou que consideraria mais prudente que a aprovação da lei tivesse sido adiada até depois dos Jogos de Sochi, em fevereiro de 2014.

"Talvez as autoridades do governo deveriam ter esperado um pouco para incluir o banimento da propaganda homossexual pela lei. Foi possível calcular quanta ressonância isto causou no Ocidente e sua influência especialmente na corrida para as Olimpíadas. Esta reação é parte da relação do Ocidente com nosso país" declarou.

Nesta segunda-feira, cerca de 20 manifestantes protestaram em Nova York contra a realização do “Russia Day”, evento que reuniu executivos, empresários e funcionários do governo russo sobre oportunidades de investimento no país. Em frente ao prédio que sediou o encontro, os manifestantes expuseram faixas com as cores do arco-íris e mensagens de reprovação à postura do governo russo.

Foto: Reuters

Manifestantes protestam em frente ao prédio que recebeu encontro do 'Russia Day' em Nova York.

Foto: Reuters

Faixas com as cores do arco-íris exaltam os direitos humanos e criticam a postura do governo russo.
Mantida pelo governo russo após reavaliação no final de julho deste ano, a lei 'antigay' permite que qualquer atleta ou torcedor, gay ou defensor dos direitos LGBT (incluindo atletas e treinadores) sejam presos por até 14 dias e, em seguida, expulsos do país caso tenham atitude de divulgação do que é designado como “propaganda gay”.
 
Encontre-nos no Google+