Jovem lésbica espancada em bar é chamada de 'neguinha' e 'sapatona' em Brasília

Segundo a namorada de uma das vítimas, a briga teria começado depois que um dos suspeitos a confundiu com um homem.

Publicado em 28/02/14 às 13:04

Do Gay1, com Correio Braziliense

Foto: Reprodução/Correio Braziliense

A namorada da jovem internada contou que um dos rapazes achou que a menina estaria dando em cima da namorada dele.
"Lepra da sociedade, puta neguinha, sapatona e vocês têm que morrer". Essas foram as palavras ouvidas por vítimas de agressões gratuitas, na madrugada desta sexta-feira (28/2), na saída do Balaio Café, na 201 Norte. Quatro meninas, todas lésbicas, foram agredidas e uma delas está internada em um hospital.

A briga teria começado, segundo uma delas que preferiu não se identificar, depois que uma das jovens teria passado por uma mesa onde estavam cinco homens e outras duas mulheres.

A namorada da jovem internada contou ao Correio Braziliense que um dos rapazes que estavam sentados na mesa do bar achou que a menina era homem, pois ela tinha o cabelo raspado, e que estaria dando em cima da namorada dele. Revoltado, ele se levantou e partiu para cima da mulher e a acertou com dois socos no rosto. A namorada, então, teria gritado "ela é mulher", mas o rapaz continuou as agressões.

A namorada conta, ainda, que partiu para cima do agressor, mas também apanhou. Um outro rapaz que também estava à mesa segurava uma garrafa de vidro e também ameaçava as quatro jovens. "Acho totalmente errado qualquer tipo de agressão, ainda mais de um homem que, com o dobro das forças, parte para cima de uma mulher, achando que ela é um cara. Querendo ou não o homem é mais forte que uma mulher e usa da força para agredir", desabafa.

Segundo a jovem, os amigos foram defender o agressor e falaram "um monte de coisa", tentando achar argumentos para dizer que as jovens estavam erradas . "Eu estou fragilizada, porque eu namoro há um ano e nunca passei por esse tipo de situação, sempre andei de mãos dadas com ela. Já aconteceu um episódio de agressão verbal em um outro bar que a gente frequentava, mas eu nunca imaginei que ia chegar a agressão física", afirma a namorada da jovem hospitalizada.
 
Encontre-nos no Google+