Britânico fica preso por 4 meses no Marrocos por ‘ser gay’, diz família

Nativo de Kent, no Reino Unido, Ray Cole foi detido no mês passado, quando passava férias no país africano.

Publicado em 08/10/14 às 16:42

Do Gay1 Mundo

Foto: Reprodução / Facebook

Antes de ser preso, Cole havia tirado fotos em Marrakech.
O britânico Ray Cole, de 70 anos, ficou preso por quatro meses, em Marrakech, no Marrocos, porque é gay. A denúncia foi feita pela família dele. Nativo de Kent, no Reino Unido, ele foi detido no mês passado, quando passava férias no país africano, onde fora visitar um marroquino, chamado Jamal Jam Wald Nass. Ambos foram pegos pela polícia em um ponto de ônibus por “suspeita de homossexualidade”. As informações são do jornal The Mirror.

Cole e Nass foram condenados a quatro meses de prisão, depois que imagens de conteúdo erótico gay foram encontradas no celular do britânico e usadas como prova para julgá-los. Através de um recurso, Cole conseguiu liberdade nesta terça-feira.

Em comunicado, a Embaixada do Marrocos informou: “O acesso a assistência consular e uma defesa legal foram devidamente fornecidos ao Sr. Cole, que exerceu o seu direito de recurso e deve comparecer diante do juiz da Corte de Apelações amanhã, 8 de outubro de 2014. Enquanto isso, o Sr. Cole tem concedida a liberdade condicional.”

A família do britânico confirmou sua libertação e disse que ele voltará para o Reino Unido em breve. Os filhos de Cole usaram o Facebook para anunciar a soltura do pai.

“Estamos muito satisfeitos em anunciar que nosso pai, Ray Cole, foi libertado da prisão e está a caminho de casa. Gostaríamos de agradecer a cada um de vocês, aqui (no Reino Unido) e no Marrocos, que têm colaborado com nossa campanha para conseguir a libertação de nosso maravilhoso pai. Também gostaríamos de agradecer às autoridades marroquinas por mostrar compaixão”.

Cadeia lotada
O filho do Cole, Adrian, de 41 anos, já havia falado sobre sua preocupação com o pai, que foi mantido em uma cadeia superlotada, ao lado de assassinos e estupradores.

“Ele comia vegetais uma vez ao dia e a cela era uma dormitório desenhado para 44 pessoas, onde havia 60 homens. Meu pai dormia sobre o concreto”, denunciou Adrian, que também fez uma intensa campanha em redes sociais cobrando a libertação do pai.

Não há informações sobre a libertação de Nass. Cole se assumiu gay há alguns ano e teve o apoio de sua ex-mulher e filhos.

No Marrocos, a homossexualidade é considerada crime, com pena de 6 meses a 3 anos de prisão.
 
Encontre-nos no Google+