Militante LGBT é criticado na Argentina por usar Aids como arma pró-governo

Alex Freyre é um militante LGBT e kirchnerista.

Publicado em 16/10/14 às 14:12

Do Gay1 Mundo

Foto: Getty Images

Alex Freyre está sendo isolado pela comunidade LGBT argentina.

Alex Freyre, um militante LGBT e kirchnerista, está sendo isolado pela comunidade LGBT argentina depois de declarar, no Twitter e em uma entrevista a uma rádio, que, se a oposição ganhar as eleições presidenciais no ano que vem, cortará o tratamento aos HIV positivos.

Para reforçar seu argumento, afirmou que o bailarino Aníbal Pachano, portador do vírus, morrerá.

Pachano é um dançarino que é conhecido por participar de um dos programas de TV mais vistos da Argentina, o Showmatch, apresentado por Marcelo Tinelli. É uma espécie de Domingão do Faustão que também tem um segmento de dança dos famosos.

"Todos sabemos que Pachano tem HIV e toma medicamentos. Ele disse que apoia [Sérgio] Massa [deputado e pré-candidato à Presidência]. Eu digo a ele: não faça planos para 2017, porque, se o Massa ganhar, você vai morrer", disse Freyre.

As declarações não agradaram a federação argentina de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, que emitiu uma nota para afirmar que Freyre não faz parte da organização desde 2011 "por não compartilhar os critérios de trabalho e métodos".

No texto, também repudiam a tentativa de espalhar o medo e fazer uso partidário de um tema sensível.

 
Encontre-nos no Google+