São Paulo inova e dá prioridade para LGBTs no Minha Casa Minha Vida

Resolução foi publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (31/10).

Publicado em 31/10/14 às 19:51

Do Gay1 SP

Arte: Hernanny Queiroz

Famílias que tenham titular lésbica, gay, bissexual, travestis ou transexual que sofram algum tipo de violência doméstica também poderão entrar no programa.
Transexuais, travestis, negros e índios agora estão incluídos entre os beneficiários do programa Minha Casa Minha Vida de São Paulo, de acordo com resolução publicada nesta sexta-feira (31/10), no Diário Oficial do governo local. Para tanto, basta uma autodeclaração.

Famílias que tenham titular lésbica, gay, bissexual, travestis ou transexual que sofram algum tipo de violência doméstica também poderão entrar no programa. Nestes casos, para comprovar tal situação será preciso um atestado da rede de saúde, assistência social e enfrentamento à violência.

Os critérios inéditos integram a lista nacional de diretrizes do programa que também englobam as famílias residentes em áreas de risco, ou insalubres, ou ainda que tenham sido desabrigadas; famílias com mulheres responsáveis pela unidade familiar; e famílias com pessoas deficientes.
 
Encontre-nos no Google+