'Nos vêem como inimigos', diz casal lésbico que driblou lei para se casar na Rússia

Casamento com Alyona só foi possível porque documentos de Irina ainda a têm como homem; elas dizem que ataques homofóbicos aumentaram com nova lei.

Publicado em 18/12/14 às 16:49

Da BBC

Foto: BBC

Alyona Fursova e Irina Shumilova se casaram de véu e grinalda.
Grupos de direitos para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais na Rússia dizem que houve um aumento no número de agressões homofóbicas e ataques desde que uma nova lei transformou em crime a disseminação de "propaganda gay".

Os defensores da lei insistem que estão protegendo o que chamam de valores tradicionais russos. Mas ativistas dizem que muitos LGBTs estão com medo até mesmo de andar de mãos dadas em público.

Na Rússia, o casamento entre pessoas do mesmo sexo não é permitido, mas o casamento de Irina Shumilova e Alyona Fursova no mês passado em São Petersburgo - ambas de véu e grinalda - virou uma polemica.

Um político chamou o casamento de "nojento" e pediu para que procuradores o anulassem. A união foi legalmente possível porque os documentos oficiais de Irina ainda a têm como um homem - ela nasceu como homem e se submeterá a uma operação para readequação sexual.

O casal pretende lutar para que o casamento seja mantido. Segundo elas, a homofobia piorou desde que a lei foi implementada e a população vê a comunidade LGBT como um "inimigo interno".

 
Encontre-nos no Google+