Quase 3 mil protestam em Indiana, nos EUA, contra lei que discrimina LGBT

Em nome da 'liberdade religiosa', lojas podem barrar casais do mesmo sexo. Lei polêmica foi aprovada nesta semana pelo governador.

Publicado em 29/03/15 às 14:45

Da Agencia EFE

Foto: Nate Chute / Reuters

Nova lei permite que lojas barrem a entrada de casais do mesmo sexo.
Aproximadamente, 3 mil pessoas se manifestaram neste sábado no centro de Indianápolis, capital de Indiana, nos Estados Unidos, para expressar aversão pela aprovação nesta semana de uma lei estadual que permite a discriminação de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

Com cartazes, os manifestantes gritaram frases como "Nenhum ódio em nosso estado" e "Reparem essa lei", informou a imprensa local. O grupo dirigiu as palavras ao governador de Indiana, o republicano Mike Pence, que aprovou na quinta-feira passada uma lei que dá carta branca aos estabelecimentos comerciais do estado a proibir a entrada de casais do mesmo sexo em nome da "liberdade religiosa".

A medida não provocou apenas críticas das organizações defensoras dos direitos LGBT, mas de líderes empresariais que acreditam que a iniciativa prejudica a imagem de Indiana e dificulta a captação de novos talentos.

Contrário à lei, o executivo-chefe da empresa Angie's List, Bill Oesterle, anunciou hoje o cancelamento de seus planos de expansão em Indiana, avaliados em US$ 40 milhões.

Na mesma linha, o prefeito de Seattle (estado de Washington), Ed Murray, informou que proibirá o uso de fundos para viagens de negócios de funcionários públicos da prefeitura a Indiana.

"Os moradores de Seattle sabem que a discriminação não tem lugar em nossa cidade", ressaltou Murray, ao dizer que a cidade "foi líder na luta para proteger os direitos civis e garantir igualdade para todas as pessoas".
 
Encontre-nos no Google+