Travesti foi morta após incentivar denúncia de agressão, diz polícia

Vítima foi morta a tiros em Campo Grande, na tarde de domingo (22). Dois suspeitos foram identificados e tiveram mandados de prisão expedidos.

Publicado em 26/03/15 às 21:44

Do Gay1*

Foto: Jeferson Ageitos/TV Morena

Travesti foi assassinada em bairro de Campo Grande.
Antes de ser morta a tiros no último domingo (22), em Campo Grande, a travesti de 22 anos, teria incentivado uma amiga a denunciar que estava sendo agredida pelo companheiro, segundo delegado responsável pelo caso, Alexandre Evangelista.

O titular da 2ª Delegacia de Polícia da capital informou, nesta quarta-feira (25), que dois suspeitos heterossexuais, de 21 anos, foram identificados e tiveram mandados de prisão expedidos pela justiça.

Segundo ele, o crime teria sido motivado porque a vítima incentivou que uma amiga dela denunciasse as agressões que sofria do companheiro. Por conta disso, o companheiro da amiga matou a vítima.

Ainda segundo o delegado, os dois suspeitos têm passagens pela polícia, sendo que um deles é suspeito de outro homicídio e uma tentativa de homicídio.

No dia do crime, a vítima chegou a ser atendida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local do crime. O caso está sendo investigado como homicídio doloso qualificado, quando há intenção de matar.

Crime
A travesti de 22 anos morreu após ser atingida por dois tiros, na tarde deste domingo (22), no bairro Morada Verde, região norte de Campo Grande. Segundo na polícia, a vítima saía da casa de uma amiga quando foi baleada.

Dois homens estavam em uma motocicleta na rua Tesourinha quando o condutor fez três disparos. Dois tiros atingiram a travesti no abdome e nas costas, de acordo com a polícia. O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro.

*Com informações da TV Morena
 
Encontre-nos no Google+