'Trocava o rapaz por uma moça para aproveitar melhor a história' diz escritora

Karina Dias é autora dos livros 'Aquele dia junto ao mar' e 'Diário de uma garota atrevida'.

Publicado em 04/03/15 às 12:40

Por Angélyca Miranda, Da Social Play

Foto: Arquivo Pessoal

Karina Dias.
Autora dos livros 'Aquele dia junto ao mar' e 'Diário de uma garota atrevida', Karina Dias já entrou para a lista de escritoras que se aprofundam em suas ideias ao escrever histórias tão detalhadas a ponto de fazer o leitor viajar na trama. As rosas e a revolução é o último sucesso da escritora que demandou seis anos de pesquisa para adequar o romance a época da ditadura militar brasileira.

Karina que também é jornalista e pesquisadora, diz como transportava o enredo das histórias que lia para seu íntimo. “Eu, por exemplo, desde pequena, ao ler romances héteros, em minha imaginação trocava o rapaz por uma moça para aproveitar melhor a história de amor que estava lendo, ou seja, eu queria encontrar nas tramas algo que me fizesse sonhar com a minha realidade”.

A escritora ressalta ainda que independente da orientação sexual do escritor ou do leitor, uma boa história deve ser lida sempre, sem preconceitos. “... nós, homossexuais também lemos romances entre casais heterossexuais e não mudamos a nossa orientação sexual por isso, ou simplesmente deixamos de achar o enredo bonito, comovente e emocionante por ser um romance heterossexual. Amor é amor e ponto! Não tem explicação” diz Karina em entrevista ao Gay1.

“Através das histórias, temos a oportunidade de produzir uma literatura que representa, mesmo na ficção, as nossas relações, nossos desejos, nossos sonhos” finaliza a escritora.
 
Encontre-nos no Google+