Pai pinta as unhas em apoio ao filho após bullying na escola em Minas Gerais

Thiago publicou a história no Facebook e já teve mais de 7 mil compartilhamentos.

Publicado em 02/05/15 às 16:10

Por Thais Carreiro

Foto: Reprodução/Facebook

Para Thiago e Laura, o apoio é o mais importante para o filho Arthur, de quatro anos.

Foto: Reprodução/Facebook

Thiago Moreira publicou a história no Facebook após ser questionado pelo apoio ao filho.
Na terça-feira, quando o enteado de quatro anos, que Thiago Moreira chama de filho, chegou em casa cabisbaixo contando que outra criança tinha falado que “ele parecia uma menina” por causa das unhas pintadas, o rapaz não pensou duas vezes: pediu para que o menino pintasse as unhas dele, demonstrando apoio à brincadeira do pequeno Arthur. Tal como a criança, Thiago acabou sendo questionado sobre a atitude.

"No trabalho, me perguntavam sobre o esmalte, eu explicava a história e as pessoas entendiam. Só uma pessoa questionou, falando que éramos muitos novos para dar essa liberdade para ele" contou Thiago, por telefone.

Foto: Reprodução/Facebook

Thiago e Laura com o pequeno Arthur.
Incomodado com o preconceito, Thiago, que trabalha como recepcionista em uma pousada em Ouro Preto, em Minas Gerais, publicou a história no Facebook na sexta-feira. Um dia depois, a publicação já teve mais de 7 mil compartilhamentos e está recebendo diversas mensagens de apoio. A repercussão da história impressionou e as mensagens de apoio chegam de todos os lados. "Eu imaginava que daria uma repercussão entre nosso grupo de amigos, mas chegou no Brasil inteiro e nós estamos recebendo muitas mensagens de apoio. Na minha caixa de mensagens tem mais de 40, todas nos apoiando. É muito bom."

Arthur, de quatro anos, é descrito por Thiago como uma criança que adora cores e, sempre que vê sua mãe, Laura, pintando as unhas, tem vontade de fazer o mesmo. Não pelo ato de pintar as unhas em si, mas pelas cores usadas pela mãe.

"O apoio é importante para a criança, e nós vamos apoiá-lo em tudo. O que ele quiser ser no futuro, nós vamos estar aqui dando apoio e sempre vamos amá-lo, ele é nosso filhão" completou Thiago.

O pai biológico de Arthur, Luiz Ernesto, que mora em Santa Catarina, está acompanhando e apoiando a atitude de Thiago.

“Eu assino embaixo e quero que alguém venha falar algo sobre o Arthur, sobre a mãe dele e sobre o novo pai dele”, desafiou Luiz no Facebook.

Leia o desabafo de Thiago na integra:

Uma breve história.

Sempre que a Laura pinta as unhas, o Arthur quer pintar também, porque afinal de contas, são cores, e ele quer tê-las em suas unhas também.

Pois bem, deixamos que ele pinte.

Certo dia ele chegou em casa de cabeça baixa começou a tirar o esmalte de suas unhas e a Laura quis saber o porquê, ao que ele disse:

- Um menino mais velho disse que eu tava parecendo uma menininha.

Imediatamente peguei a bolsa de esmaltes da Laura e pedi para que ele escolhesse uma cor para pintar minhas unhas, e a cor escolhida foi essa da foto.

Desde então, vou levá-lo e buscá-lo na escola com as unhas pintadas por ele.

------

Hoje no trabalho - pra quem não sabe, trabalho como recepcionista em uma pousada - um guia turístico veio buscar um de nossos hóspedes para um passeio e, assim que entrou na pousada, uma das primeiras coisas que ele notou foi:

- Você pinta a unha?

Contei pra ele a história e ele imediatamente fez questão de dar sua opinião a respeito:

- Mas você não acha que é prejudicial pro seu filho?

- Não, não acho. Por que seria? Ele é uma criança, ele não sabe preconceitos, não ensinamos isso em casa.

- Ah, mas pensa bem. Se você pinta a unha dele, VOCÊ tá contribuindo pra que ele seja alvo de bullying na escola... [...] Quando tiver com ele em casa e ele quiser pintar a unha, pegue uma base, sei lá, e diga "olha, filho, esse aqui é o esmalte do papai, esse aqui você pode passar que ninguém na escolinha vai rir de você.

- Hei, mas a graça pra ele está JUSTAMENTE nas cores, ele gosta das cores, nós não vemos problema nenhum com isso e eu não irei privá-lo das cores porque outros pais ensinam seus filhos a ter preconceitos.

Após perguntar minha idade, ele emenda:

- Eu tenho uma filha de 20 anos, ela nunca namorou e ela gosta dessas coisas mais Heavy Metal, mas se eu vejo ela usando uma bota de HOMEM eu digo "Filha, não tá legal"... [...] Veja só, vocês são novos, não sejam tão liberais, hoje você pinta a unha dele, amanhã ele pode querer usar uma calcinha e se um dia ele chega de mãos dadas com um "coleguinha" na sua casa?

- Meu! PELAMOR! Ele gostar agora de pintar as unhas não interfere na sua sexualidade!

- Você acha que não?

- ÓBVIO que não! Se no futuro ele SE DESCOBRIR gay, se no futuro ele chegar de mãos dadas com um "coleguinha", se no futuro ele quiser/gostar de usar calcinha, ele saberá que poderá contar com todo nosso apoio, pois somos seus pais e isso jamais deixaremos de ser. No mais, ele no momento é só uma criança que não tem preconceitos e nem é criada com eles.

Aí o hóspede chegou e acabou a conversa.

Bom dia.

P.S: Vai ter unha das mãos pintadas pelo filho SIM e se reclamar pinto as dos pés também.
 
Encontre-nos no Google+