Com ações culturais e educativas, Parada LGBT em BH reuni 100 mil pessoas

Tema do evento foi “18 anos colorindo as ruas e garantindo direitos”. Marcha teve início na Praça da Estação e seguiu até a Savassi.

Publicado em 19/07/15 às 00:52

Do Gay1

Cerca de 30 mil pessoas estiveram presentes na 18ª Parada do Orgulho LGBT

Foto: Reprodução/Facebook

Cerca de 30 mil pessoas estiveram presentes na 18ª Parada do Orgulho LGBT.
Em clima de celebração, milhares de pessoas compareceram à 18ª edição da Parada do Orgulho LGBT neste domingo (19), em Belo Horizonte. O evento é um ato político e cultural realizado anualmente na cidade com o objetivo de dar visibilidade à luta por direitos iguais para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

A concentração para a marcha começou às 12h, na Praça da Estação, com shows e performances de artistas LGBT. Por volta das 17h, os participantes iniciaram o trajeto, subindo a Rua da Bahia até a Avenida Afonso Pena para, em seguida, caminharem até o cruzamento com a Rua Professor Moraes.

Segundo o Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual de Minas Gerais (Cellos-MG), organizador do evento, cerca de 100 mil pessoas estiveram presentes na parada.

Durante o percurso, agentes da BHTrans, da PM e da Guarda Municipal acompanharam os participantes e realizaram intervenções no trânsito, sinalizando os desvios com faixas e orientando os motoristas. A PM não registrava ocorrências.

Ao longo do evento, foram realizadas ações educativas sobre a prática de sexo seguro e incentivo para a realização do teste anti-HIV. Além disso, foram distribuídos preservativos, géis lubrificantes e informativos de saúde.

Conscientização
Neste ano, o tema da parada foi “18 anos colorindo as ruas e garantindo direitos”. Em comunicado enviado à imprensa, o vice-presidente do Cellos-MG, Azilton Viana, afirmou que o momento é de debater com a sociedade o histórico de conquistas e as situações políticas e sociais vividas pela comunidade LGBT em Minas. “Para pensar no futuro, precisamos refletir de onde viemos. Ao refletir sobre os dezoito anos, nós estamos reconhecendo toda a construção feita pelos que vieram antes de nós e, ao mesmo tempo, pensando nos dezoito anos que queremos construir daqui para frente”, disse.

O evento também busca chamar a atenção para a violência cometida contra a população LGBT. Segundo relatório divulgado pela ONG Grupo Gay da Bahia, foram registradas 326 mortes de pessoas LGBT por motivo de LGBTfobia no Brasil em 2014. Com 30 casos identificados, Minas Gerais foi o segundo estado mais violento, ficando atrás apenas de São Paulo.

“Vivemos em um cenário de retrocesso e é importante pararmos para avaliar nossas atitudes e como trabalhar para garantir direitos”, defende o coordenador da Parada do Orgulho LGBT em Belo Horizonte, Thiago Costa.

Além da marcha pelo Centro da cidade, o Cellos-MG promoveu, durante os meses de junho e julho, a primeira edição da Jornada pela Cidadania LGBT de Belo Horizonte, uma série de palestras, seminários, mostras e festas com o objetivo de refletir e conscientizar sobre a atual situação da população LGBT na sociedade brasileira.
 
Encontre-nos no Google+