Depois do sucesso em Sampa, ‘As três Marias em busca do Ponto G’ chega ao Rio

Fenômeno de bilheteria em Piracicaba, deliciosa comédia estreia 8 de janeiro na Barra. No palco, atores se vestem de mulher e narram a saga de solteiras em busca de um marido.

Publicado em 16/12/15 às 23:54

Do Gay1 RJ



Sucesso há 17 anos em Piracicaba, município no interior de São Paulo, sempre com casa lotada, o espetáculo de humor e improviso “As três Marias em busca do Ponto G” estreia no Rio, dia 8 de janeiro, no Teatro dos Grandes Atores (Shopping Barra Square), na Barra da Tijuca, Zona Oeste.

Pela primeira vez num palco carioca, os atores João Scarpa, Jorge Lode e Tarcízio Rafael – ah, sim, na verdade, as Marias são interpretadas por três homens vestidos de mulher - estão ansiosos para desembarcar na Cidade Maravilhosa. Já que se apresentar por aqui é um sonho antigo deles. “Agora, é apostar no sucesso entre os turistas e cariocas”, torce o ator João Scarpa.

“As três Marias em busca do ponto G”, de autoria de Méri Didoné e com supervisão de Rogério Fabiano, conta a saga de solteironas em busca de marido, e é diversão garantida do início ao fim. A peça ficará em cartaz toda sexta-feira e todo sábado, às 23h, até o dia 27 de fevereiro. O ingresso custará R$ 70 e a classificação etária é de 12 anos.

Depois do sucesso em Sampa, ‘As três Marias em busca do Ponto G’ chega ao Rio de Janeiro

Foto: Divulgação

João Scarpa, Jorge Lode e Tarcízio Rafael como Maria do Socorro, Maria das Dores e Maria da Graça.
Essa comédia deliciosa conta a história das encalhadas Maria do Socorro, Maria das Dores e Maria da Graça. Com diferentes personalidades, elas estão “loucas” para fisgar um marido e fazem de tudo para isso. Como a rica e religiosa Maria do Socorro (João Scarpa), que vive na igreja fazendo promessas a Santo Antônio, a fim de casar um dia. “A Socorro é dissimulada e invejosa, mas ela se esconde atrás da imagem de boa samaritana. Ela tem classe e elegância. É muito divertida e acaba conquistando a simpatia do público. Eu acho que ela é a protagonista, mas não fale para as outras (risos)”, brinca João ao descrever a sua personagem.

Socorro morre de inveja de Maria das Dores (Jorge Lode), uma cantora de boate descontraída e, aparentemente bem resolvida, mas que, diferentemente do que diz, está à procura de um marido. Mas isso é um segredinho só dela. Ah, e Dores também tem inveja de Socorro, que finge ser pura, mas não é. “Dores não tem receios ou pseudo pudores de se entregar a alguém. Não gosta de ser confundida com prostituta, porque se considera uma artista. É autentica e não tem vergonha de receber presentinhos de algum fã. Vive praticamente de favor na casa da amiga (Socorro), convivendo com a inveja dela e os palpites desagradáveis da empregada. Como as outras duas, tem o sonho de se casar e ser feliz no casamento”, conta Jorge.

E ainda tem a empregada Maria da Graça (Tarcízio Rafael), que não esconde de ninguém que está atrás de um marido para se ver livre das duas recalcadas. “Ela é quem cria o conflito entre as outras duas. Fofoqueira e bem humorada, ela sonha encontrar um homem que a faça feliz. Das três, é a mais nova, no entanto, é a que tem o visual mais ‘judiado’, mas não menos engraçado”, diz Tarcízio.

Fenômeno de bilheteria em Piracicaba, o espetáculo, que tem vários momentos de interação com o público, coleciona histórias engraçadas e curiosas durante quase duas décadas em cartaz. “Foram inúmeras situações hilárias de improviso que o público se deliciou. Muitas histórias... Como um pedido de casamento no final do espetáculo. O noivo subiu ao palco e fez o pedido e a ‘louca aceitou’ (risos). Estão casados e foram felizes para sempre”, lembra Tarcízio, que elege o seu melhor momento nessa estrada: “O que mais me marcou foi a estreia, em 1998. O teatro, com capacidade para 674 lugares, fizemos a apresentação para mais de 900 pessoas. Numa época em que se podia sentar no corredor, no carpete, nas laterais... Hoje não dá nem pra imaginar isso (risos)”.

E o que o público pode esperar das Marias? A resposta está na ponta da língua. “Muuuita gargalhada. Além da caracterização dos atores como mulheres já ser muito interessante e engraçada, a história também prende o espectador com as ‘aprontadas’ da empregada Graça. É confusão do começo ao fim, como nas boas peças de comédia de situações”, avalia João.

Para Jorge, o título da peça já é por si só um dos atrativos da peça, mas tem mais. “Sem dúvida, o fato de três homens mostrarem o cotidiano, os sonhos e as frustrações das mulheres em geral, através de três personagens bem construídas, encanta o público. E por ser uma comédia que consegue tirar gargalhadas da plateia em toda a duração”.

Serviço:
Estreia sexta-feira, dia 8 de janeiro.

Sinopse: “As três Marias em busca do Ponto G”. Comédia. De Méri Didoné. Supervisão: Rogério Fabiano. Elenco: João Scarpa, Jorge Lode e Tarcízio Rafael. A vida de três solteironas à procura de marido. Três mulheres de diferentes personalidades, a ricaça e religiosa Maria do Socorro, a cantora de boate Maria das Dores e a empregada Maria da Graça mostram o lado cômico da solidão (80 minutos).

Local: Teatro dos Grandes Atores (Sala Azul do Shopping Barra Square) - Avenida das Américas, 3.665 - 116/117, Barra da Tijuca - 3325-1645. Dias e horários: Sexta e sábado às 23h. Até 27 de fevereiro.

Ingresso: R$ 70

Classificação etária: 12 anos.

Funcionamento de bilheteria: Das 15h às 20h em dias comuns, exceto segundas-feiras. Em dias de espetáculo, o funcionamento vai até o início da última sessão, mas, após as 20h, são comercializados apenas ingressos para os espetáculos do dia. Às sextas e aos sábados, os ingressos para os espetáculos das 23h somente serão vendidos na bilheteria até as 20h e após as 21h15.
 
Encontre-nos no Google+