Raphael Tomassi Moraes saiu do armário!

Compartilho com você, uma saída do armário em grande estilo.

Publicado em 04/12/15 às 14:53

Por Hernanny Queiroz Raphael Tomassi Moraes saiu do armário! 👏👏👏

Compartilho com você, um texto de um acontecimento de Raphael Tomassi Moraes, que saiu do armário em grande estilo. Confira:

É, pois é. Pra quem ainda não sabe, eu sou gay. Sou e sempre fui.

Desde que me lembro e me conheço como gente, com uns 6 ou 7 anos, já tinha consciência disso. Logo cedo também, percebi que algumas (muitas) pessoas não me entenderiam e poderiam até me agredir, física ou psicologicamente, simplesmente por eu ser quem eu sou.

Me retraí.

Presenciei, ao longo da minha infância e adolescência, inúmeros casos de homofobia, seja em forma de piadas, xingamentos ou discursos de ódio. Em todos os lugares. Na rua, na escola, na TV e até mesmo (o pior) dentro de casa. O bombardeio de pensamentos homofóbicos foi tanto, que internalizei muitos destes preconceitos. Passei boa parte da minha vida lutando contra e tentando esconder minha sexualidade. Absorvi tudo isso de uma maneira tão grande que foi, pouco a pouco, destruindo o meu amor próprio e a minha autoestima. Quase me destruiu junto.

Talvez você, hétero, nunca realmente entenda o que eu estou falando. Talvez pra você, homofobia possa apenas significar o extremo de bater em alguém com uma lâmpada. Talvez você realmente acredite que aquela piadinha que você contou, não machuca ninguém. Talvez você pense que não tem nada de errado em chamar torcedores de um time de bambis. Talvez pra você, esteja tudo bem dizer que preferia que seu filho não fosse gay. Talvez você nunca entenda, mas a homofobia está mais impregnada na nossa sociedade do que você imagina! Sabe quando você quer xingar alguém, em especifico, um homem? Que palavras você usa? Bicha? Viado? Boiola? Pra você pode parecer só um xingamento, mas pra quem é bicha, viado e boiola, não é. Como você acha que uma criança assimila todo mundo usando uma característica que ela possui como uma forma de insulto? Ou motivo de riso? Como você acha que é ouvir de vários lados que você é anormal, errado, pecador? Uma aberração?

Talvez você ache que estou exagerando ou que nem deveria ter escrito esse texto todo, mas homofobia é um problema sério, e mata! Ela quase me matou quando tinha 17 anos, entrei em depressão, e por vezes, considerei que a melhor saída para me livrar de toda aquela angústia e sofrimento, poderia ser o suicídio. Felizmente, consegui sair do fundo do poço, me aceitar e acabar com aquela guerra interna que, afinal, só poderia ter um perdedor. Consegui superar as repressões que fui vítima, para enfim, me amar e me entender comigo mesmo. Finalmente compreendi algo que, no fundo, eu sempre soube.

Sou só amor ❤

Hoje saio do armário pra mostrar que nós existimos! Saio do armário pra mostrar que somos humanos. Somos suas e seus colegas de sala, trabalho, amigos, filhos, primos, sobrinhos, tios, irmãos, etc. Estamos e sempre estivemos presentes em todo o mundo, por mais que muitas vezes escondidos. Saio do armário como um ato político e pra incentivar que cada vez mais pessoas possam fazer o mesmo. Saio do armário pra tirar esse peso que carrego há 22 anos nas minhas costas. Saio do armário porque tenho claustrofobia e não aguento mais. Saio do armário, tranco ele com a chave e taco fogo.

Saio do armário hoje... pra nunca mais voltar!!


 
Encontre-nos no Google+