Clientes davam calote após programas e quem vai presa é a travesti

Pelo menos oito homens procuraram a polícia para denunciar a jovem que avisava a família dos clientes sobre o programa.

Publicado em 26/07/16 às 00:04

Do Gay1 RS

Foto: Reprodução/R7

Gabi Souza usava as redes sociais para divulgar seu trabalho.
Uma travesti, que trabalhava como profissional do sexo, foi presa no Rio Grande do Sul após ser acusada de fazer ameaças aos seus clientes. Pelo menos oito homens procuraram a polícia para denunciar a jovem. Gabi Souza, como é conhecida, utilizava das redes sociais para divulgar o trabalho.

Segundo informações do site R7, a jovem tem 22 anos, é carioca, e se mudou para o Rio Grande do Sul em 2014. Após realizar os programas, ela cobrava o valor que havia combinado, mas os rapazes não queriam pagar, então ela cobrava um valor mais alto. Quando os clientes solicitavam algo que não estava previamente acertado, o preço era ainda maior. Uma saída com ela poderia custar até R$ 1.000, segundo o portal.

Para garantir o pagamento, Gabi utilizava de três métodos. Primeiro, ela contava com uma máquina de cartão para ajudar no pagamento. Se o cliente não tivesse cartão, ela deixava ele ir sacar no banco, mas ficava com um documento dele. E terceiro, se ele não voltasse com o valor, ele avisava a família pelas redes sociais que eles haviam feito um programa.

Gabi Souza foi presa e liberada para responder em liberdade por extorsão e roubo.
 
Encontre-nos no Google+