Viviany Beleboni, 'crucificada' na Parada LGBT, denuncia nova agressão em SP

A modelo transexual foi espancada por cinco homens no final da tarde desta segunda-feira (11).

Publicado em 12/07/16 às 12:17

Do Gay1 SP

Viviany Beleboni, 'crucificada' na Parada LGBT, denuncia nova agressão em SP

Foto: Arquivo Pessoal

A modelo transexual Viviany Beleboni, 27, denunciou ter sido espancada por cinco homens no final da tarde desta segunda-feira (11) em uma rua do centro de São Paulo.
Conhecida por representar Cristo crucificado na Parada LGBT de 2015, a modelo transexual Viviany Beleboni, 27, denunciou ter sido espancada por cinco homens no final da tarde desta segunda-feira (11) em uma rua do centro de São Paulo.

Em vídeo, enviado de maneira privada, Viviany aparece com o rosto machucado e afirma, com dificuldade, ter quebrado os dentes. De acordo com seu relato, por volta das 17h, ela saiu de casa para ir ao supermercado e foi perseguida pelos agressores, que começaram a ofendê-la e, depois, a espancá-la.

"A todo momento falavam que eu era um demônio que essa raça tinha que morrer. Recitavam passagens da Bíblia ou que diziam alguma coisa relacionada a Bíblia. Falavam em Romanos e coisas como 'não te deitarás com um homem, como se fosse mulher' e muitas palavras que não entendia, como se fosse em outro idioma. Eles diziam também 'traveco vira homem', 'praga da humanidade'. Ofensas e Chutes. Quero esquecer", afirmou a modelo por meio de sua assessoria de imprensa.

Viviany afirma que a agressão só foi interrompida quando outras duas pessoas, que presenciavam a cena, começaram a gritar. Os agressores fugiram. Ela foi levada a uma clínica particular, onde recebeu os primeiros socorros. A assessora de imprensa afirma que ela ainda não registrou queixa na Polícia Civil, apesar da insistência dos amigos.

"Eu não percebi que estavam me seguindo e nem que me reconheceram. Toda vez que falam de cristofobia e que minha opinião tem voz, eu sou agredida em redes sociais e agora pela segunda vez fisicamente", afirmou Viviany.

Por volta das 20h30, a modelo publicou uma mensagem em sua página na rede social Facebook:

"Mais uma vez o que eu não queria que acontecesse com qualquer LGBTS acontece comigo só peço orações... pra que melhores logo... nada de fotos e nem vídeos dessa vez apenas que orem e mandem energias positivas"

A modelo disse que irá sair de São Paulo "por um tempo": "Preciso viver sem ter sempre essa sombra de violência me seguindo a cada passo que dou."

Agressão em 2015
Em agosto de 2015, a modelo já havia denunciado ter sido ferida no rosto e nas mãos por um agressor, quando também andava perto de sua casa, no centro da capital paulista. Na época, ela registrou boletim de ocorrência.

 
Encontre-nos no Google+