Atletas lésbicas da Rio-2016 denunciam lésbofobia da torcida no futebol

O Comitê Olímpico Internacional não se pronuncia sobre o comportamento das torcidas na Olimpíada.

Publicado em 08/08/16 às 15:46

Do Gay1 Esportes

Atletas lésbicas da Rio-2016 denunciam lésbofobia da torcida no futebol

Foto: Getty Images

Megan Rapinoe é do meio-campo da seleção dos Estados Unidos.
O preconceituoso grito de “bicha” nos estádios do Brasil tem incomodado também as atletas do futebol feminino. Megan Rapinoe, meio-campista da seleção dos Estados Unidos, reclama do canto homofóbico nas partidas do futebol olímpico da Rio-2016.

“É pessoalmente doloroso”, lamenta a jogadora, que saiu publicamente do armário. “Creio que seja algo do comportamento coletivo que toma conta das pessoas um pouco”, conta ao jornal Los Angeles Times.

O comportamento homofóbico dos torcedores já foi relatado em pelo menos duas partidas do futebol feminino olímpico, ambas disputadas na última quinta-feira (03). Uma foi entre Canadá e Zimbábue, em São Paulo. Rapinoe estava em campo na outra: a vitória dos EUA sobre a Nova Zelândia por 2 a 0, no Mineirão. Na ocasião, o “bicha” se misturou ao grito de “zika”, com o qual os brasileiros tentaram desconcentrar a goleira Hope Solo, que recentemente fez piada com o vírus nas redes sociais.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) não se pronuncia sobre o comportamento das torcidas na Rio-2016.
 
Encontre-nos no Google+