Gleyk Silveira e a necessidade de representação na câmara legislativa mineira

Candidato articulou para que fosse o único LGBT que viesse com essa bagagem de militância para que o voto das minorias não fosse cooptado.

Publicado em 25/08/16 às 14:12

Do Gay1 MG

Gleyk Silveira e a necessidade de representação na câmara legislativa mineira

Foto: Arquivo Pessoal

Sob seu número 65.600, Gleyk Silveira pleiteia uma vaga na câmara dos vereadores de Belo Horizonte.
Gleyk Silveira é um desses caras que você ao conhecer odeia ou adora, "apesar de ter mudado muito de alguns anos para cá", sempre convicto do que deve fazer para que as pessoas que ainda não acordaram para a vida em cidadania, ou seja, a sua militância é levada a séria e não se fecha somente nos grupos que participa como Ativista Social de Direitos Humanos e Direitos da população LGBT de Belo Horizonte, bem como toda e qualquer luta por direitos de minorias, principalmente as que são afetadas pelo sistema, ao qual define como “extremamente sectário”.

Com 35 anos recém completados dia 10 de agosto, teve uma vida conturbada, desde sua saída de casa aos 12 anos até o seu trabalho como digitador no gabinete do prefeito da Cidade de Santa Luzia, até sua ascensão como assessor administrativo no percurso de 10 anos, passando pelas lutas de movimentos sociais na capital Mineira, ressaltando o “Fora, Feliciano”, as que ele chama de “Jornadas de Junho” e várias outras que não o deixaram parar de lutar pela igualdade entre os cidadãos.

Nos últimos anos, viveu de um emprego de quase 3 anos numa pequena empresa onde vivia tentando sair mais cedo para ir a reuniões dos movimentos, e neste ano, resolveu tentar conciliar tudo com o início de sua trajetória política como linha de frente, já que nos bastidores já tem grande experiência durante o tempo no executivo Luziense, até mesmo como coordenador de pesquisas e coordenador de campanha de rua nas últimas duas eleições aos cargos do Legislativo Estadual e Federal.

Sentindo a necessidade de se colocar como opção para o povo de Belo Horizonte, Gleyk Silveira é um destaque, visto que em sua chapa, articulou para que fosse o único LGBT que viesse com essa bagagem de militância para que o voto das minorias não fosse cooptado, visto que considera as pautas marginalizadas difíceis de serem abraçadas e pessoas que nunca se preocuparam com elas dizem-se apoiadores da pauta sem ter um histórico para tal. Diante dessa situação de pulverização dos votos, ele colocou para seu partido essa necessidade de se focar em uma única candidatura, pois do contrário, esse tipo de voto (representativo) ficaria entre candidaturas que nada tinham a ver com a pauta.

No seu pleito e na construção de sua candidatura, dialogará com as diversas nuances de movimentos como o LGBT, de Pessoas em situação de Rua, dentre os que se sentirem abertos a usar o seu número 65.600 como instrumento para que as proposições sejam apresentadas de forma digna e respeitando todos os recortes, principalmente o de classe.

Gleyk Silveira se destacou pela sua responsabilidade, pela seriedade com que trata os pontos de sua campanha e pela vontade de transformar a realidade das pessoas de sua cidade e por que não de seu país?

Sob seu número 65.600, Gleyk Silveira pleiteia uma vaga na câmara dos vereadores de Belo Horizonte e diz que ainda irão muito ouvir dele, pois sabe que o seu trabalho irá incomodar muitas pessoas e grupos que não querem que os direitos sejam realmente para todos e todas. Gleyk Silveira sonha com um futuro melhor para as pessoas.

Nós aqui do Gay1 estamos acompanhando essa e outras grandes candidaturas. Apoiamos a campanha #VoteLGBT que busca mostrar para a própria comunidade LGBT que ela tem grandes representantes que se preocupam com os nossos direitos. Gleyk Silveira certamente é um desses!
 
Encontre-nos no Google+