Jovem faz transmissão ao vivo no Facebook para denunciar assédio sexual do chefe

Makana Milho estava fazendo a faxina de uma empresa como parte da pena de trabalho comunitário, consequência de um roubo.

Publicado em 03/08/16 às 14:43

Do Gay1 Mundo

Foto: Reprodução/Facebook

Makana estava realizando trabalho comunitário como pena alternativa de um roubo.
Uma mulher realizou uma transmissão ao vivo pelo Facebook para denunciar seu chefe, que estaria lhe oferecendo favores sexuais. Em troca ele a liberaria mais cedo do expediente.

A transexual Makana Milho, de 21 anos, estava fazendo a faxina de uma empresa como parte da pena de seis dias de trabalho comunitário, consequência de um roubo de bolsa realizado pela jovem. De repente, enquanto limpava um dos banheiros, foi abordada pelo supervisor, Harold Vallanueva Jr, que "beliscou seu traseiro".

Foto: Reprodução/Facebook

Transmissão ao vivo serviu como denúncia de assédio sexual.
"O universo estava girando. Eu pensei que ele poderia fazer basicamente qualquer coisa comigo. Senti minha energia sendo arrancada de mim", declarou ao site americano "Daily Beast".

Makana, então, foi levada por Harold até o estacionamento da empresa, onde ela iniciou a transmissão pelo Facebook com o celular dentro da bolsa, no carro de Harold.

É possível ouvir Makana claramente dizendo: "Se eu não transar contigo, vou ter que ficar até uma da tarde?". Em outro momento, o supervisor sugere que a funcionária lhe faça sexo oral, mesmo sem ter um preservativo no bolso. "Posso pedir camisinha a algum amigo meu", retrucou Makana, tentando, assim se deslocar para algum lugar onde pudesse pedir socorro. Foram aproximadamente 30 minutos de transmissão.

O vídeo, publicado no dia 22 de julho, foi visto mais de 197 mil vezes. Em seu link, Makana marcou a página da polícia local, que, semana passada, prendeu o supervisor da jovem, de 47 anos.

Foto: Divulgação

Supervisor de Makana foi preso na semana passada, em Honolulu.
 
Encontre-nos no Google+