As eleições estão chegando! O que eu LGBT tenho a ver com isso?



Estão chegando às eleições: No dia 2 de Outubro, iremos até as urnas exercer o nosso direito de cidadãos e cidadãs de eleger democraticamente os candidatos(as) a vereador e a prefeito, em nossos municípios. E nesse ano, mesmo com tantos retrocessos em que o país está inserido, vemos e ouvimos frequentemente pela TV, internet ou pelas rádios, candidatos tentando nos convencer de que tal cenário poderá ser revertido de forma simples, como um passe de mágica. Mas sabemos que a verdade é outra e precisamos lutar para melhorar essa situação.



Todos dizem que “política não se discute” (assim como futebol e religião), e como bons fashionistas que costumamos ser no mundo LGBT, seguimos essa moda de reproduzir todo o escárnio por um assunto que é de extrema relevância e que precisa ser encarado com outros olhos, caso realmente almejarmos por mudanças. Não que falar sobre essa questão seja algo divertido e prazeroso, mas debater assuntos políticos se torna necessário quando corremos o risco de ter os nossos direitos suprimidos, a cada dia que passa.

Na última eleição, por exemplo, conforme noticiado em diversos veículos de comunicação, elegemos um dos Congressos mais conservadores da história. E a resposta foi imediata: o fundamentalismo interferiu nos Planos de Educação que estavam sendo elaborados em esfera municipal, estadual e nacional, impedindo que questões de gênero, e de diversidade sexual, fossem abordadas em sala de aula. Um verdadeiro golpe para a educação, que afetará os próximos 10 anos, quando os planos voltarem a ser reformulados.

E como se não bastasse, projetos como do Estatuto da Família, que tira a legitimidade dos mais diversos arranjos familiares (que já foram inclusive reconhecidos pelo STF), voltaram a correr em passos largos na Câmara dos Deputados. Isso sem contar a tentativa da bancada evangélica de derrubar o decreto nº 8727 que autoriza o uso do nome social de travestis e transexuais em órgãos públicos federais.



Por isso, seja no campo da saúde, da educação da economia ou em qualquer outra área: Precisamos estar atentos as mais variadas propostas, e garantir que bons planos de governo sejam estabelecidos e eleitos, visando também incluir a todos e todas, independente da orientação sexual ou identidade de gênero.

Sendo assim, estão chegando novamente as eleições e nós LGBT’s temos muito a ver com isso, pois somos muitos e temos o poder de fazer a diferença nas urnas e mais do que nunca, devemos eleger não apenas um candidato, mas alguém que possa nos representar! VOTE LGBT!

Escrito por Matheus Emílio - Administrador e Redator do Menino Gay
 
Encontre-nos no Google+