Jovem recebe bilhete homofóbico com ameaça de morte no Piauí

Hugo Coelho denunciou o fato e diz que por medo, saiu de casa e aguarda as investigações.

Publicado em 14/09/16 às 16:57

Do Gay1

Jovem faz reunião em casa e recebe bilhete com ameaça de morte no Piauí

Foto: Reprodução/Facebook

Termos de conotação sexual foram borrados pela reportagem.
O estudante de biomedicina Hugo Antônio Coelho denunciou nessa segunda-feira (12) para a polícia que foi ameaçado de morte por algum condômino após dar uma reunião para amigos em seu apartamento. No bilhete, o jovem é ameaçado de ter a casa arrombada e ser queimado vivo (veja acima), caso não diminuísse o barulho. Com medo, o estudante saiu do condomínio e aguarda as investigações dos órgãos competentes. O bilhete continha termos de conotação sexual. Para a vítima, a ameaça também tem tom homofóbico.

"Eu tive que sair de casa. A gente sempre vê as coisas acontecerem no país inteiro e não acredita que possa acontecer com a gente. A pressão é muito grande. Não sei se isso foi apenas pra me assustar ou se pode ser concretizado, então fui à delegacia, registrei boletim e aguardo a investigação do delegado para que seja feito um exame na grafia de alguns suspeitos, só que longe de casa", disse o jovem, que denunciou o fato também nas redes sociais.

Hugo Antônio contou que no domingo (11) recebeu amigos em casa e que decidiram jogar baralho. Próximo das 22h, para não ter problemas, decidiram ir para área de festas do condomínio, depois de algumas horas, parte dos amigos deixaram o local e outra parte subiu juntamente com o estudante.

Jovem faz reunião em casa e recebe bilhete com ameaça de morte no Piauí

Foto: Reprodução/Facebook

Hugo Antônio recebe ameaça em bilhete.
Ele explica que por conta do horário decidiram não continuar o jogo e foram dormir, na manhã seguinte ele viu o bilhete colocado debaixo da porta.

"Eu me senti horrível porque eu estou na minha casa, recebendo os meus amigos como qualquer outro condômino e recebo algo assim. Se alguém se incomodou pelo barulho que não houve e se fosse só por esse motivo, acho que deveriam ter vindo falar diretamente comigo, ou com o síndico. Por isso acho que essa ameaça é homofóbica, pelo ódio com que a pessoa escreve. Fiquei com medo de acontecer algo comigo", disse.

Segundo o estudante, ele desconfia que três condôminos possam ter mandando o bilhete, pois já aconteceram episódios de preconceito em que o fato de ele ser gay foi levado em questão. “Um deles já invadiu a minha casa e nos xingou, sempre levando em consideração o fato da homossexualidade”, contou.

Hugo Antônio diz que registrou B.O e que foi informado que será realizada a investigação. “Eu quero que isso se resolva, que o delegado faça realmente o que ele disse que ia fazer e que essa pessoa seja encontrada”, disse.

Amigo da vítima, Renato Barros disse que ficou revoltado com a situação e acredita que a exposição do caso em redes sociais é uma forma de se defender.

"Eu estou muito descrente por qualquer tipo de Justiça, principalmente para minorias. Dentro do que eu enxergo naquela ameaça, que é uma ameaça de morte, eu acho que deveria ter um mais empenho e dar mais importância pra isso, e não só fazer o B.O e esperar pelo menos uma semana para ter alguma posição. Em uma semana ele pode ser assassinado. O que a gente pode fazer realmente é gritar, postar nas redes sociais, porque parece que você só consegue alguma coisa, principalmente se for minoria, se você pressiona algum tipo de autoridade", desabafou.

Tentado contato por várias vezes com o delegado titular da Delegacia de Proteção aos Direitos Humanos e Repressão às Condutas Discriminatórias, não obteve nenhum retorno até a publicação da reportagem.

A reportagem também tentou contato com o síndico do prédio onde o estudante mora, mas não encontrou o responsável.
 
Encontre-nos no Google+