Reação homofóbica de colégio a beijo entre dois meninos gera criticas de alunos

Segundo postagens nas redes sociais, estudante do colégio Sigma teria sido advertido de forma preconceituosa.

Publicado em 09/09/16 às 16:46

Do Gay1 DF

Reação homofóbica de colégio a beijo entre dois meninos gera criticas de alunos

Foto: Reprodução

Fachada do Colégio Sigma, na 910 Norte, em Brasília.
Um caso ocorrido no Colégio Sigma, da 910 Norte, tem movimentado as redes sociais. Segundo contam alguns estudantes em postagens, um aluno teria sido surpreendido beijando outro jovem nas proximidades da escola e, por isso, advertido pela direção de forma homofóbica. O colégio nega que tenha havido qualquer tipo de discriminação e afirma que adotou um procedimento padrão quanto a relacionamentos afetivos de seus alunos, independentemente de gêneros, “que são separados em ambiente escolar”.

Reação homofóbica de colégio a beijo entre dois meninos gera criticas de alunos

Foto: Reprodução

LEGENDA
Segundo as postagens, os pais do jovem teriam sido chamados à escola, o que também gerou críticas de alunos e ex-alunos. “É extremamente absurdo você ligar pros pais de um aluno pra falar que ele beija pessoas do mesmo sexo. Será que o gênio que teve essa ideia de fazer isso com esse aluno pelo menos se tocou que ele poderia estar lidando com pais homofóbicos que não sabiam que o filho era gay?”, diz um dos post publicados no Facebook. Em reação à escola, alunos já organizam um beijaço em frente ao estabelecimento.

“Em pleno 2016, a gente ainda tem instituições de ensino com esse tipo de postura”, destaca outra postagem. Na redes sociais, um aluno publicou uma conversa que teve com o perfil oficial do centro educacional no Facebook, em que questiona a atitude da escola em relação ao fato. O colégio alega que “o procedimento de separar casais sempre foi uma conduta da instituição” e que a ação independe da orientação sexual do estudante.

Em um primeiro momento, alguns alunos chegaram a relatar que o jovem flagrado teria sido ameaçado de expulsão, o que foi negado pela escola. Depois os próprios alunos confirmaram que a ameaça não era verdadeira. Porém, segundo os testemunhos, o adolescente teria sido intimidado por causa da situação. “… no recreio o menino tava chorando muito”, publicou um dos colegas dele. O caso ocorreu na quinta-feira (8/9).

Em nota, o Centro Educacional Sigma afirma que “acredita na importância da liberdade de expressão e que possui um procedimento padrão quanto a relacionamentos afetivos de seus alunos, ao longo dos seus 32 anos”. Destacou, ainda, que “repudia qualquer tipo de discriminação e reforça que a missão da escola é, e continuará sendo, focada na formação dos alunos.” O estudante não foi localizado até o momento para comentar o caso.

Confira um dos posts que tem recebido muitos comentários de alunos e ex-alunos no Facebook:

 
Encontre-nos no Google+