Ativistas LGBT debatem políticas públicas com a Secretária de Direitos Humanos

Flávia Piovesan recebeu representantes do Fórum Nacional de Gestoras e Gestores Estaduais e Municipais de Políticas Públicas para População LGBT.

Publicado em 28/10/2016 às 13:34

Do Gay1

Ativistas LGBT debate políticas públicas com a Secretária Especial de Direitos Humanos

Foto: Reprodução/Facebook

Estiveram presentes à reunião os seguintes componentes do Fonges: Leonardo Bastos Ferreira (Presidente), Valdirene dos Santos (Diretora Regional Sudeste), Denis Ramos (Assessor de Comunicação), Roberta Rocha Schultz (Diretora Regional Nordeste), Ana Carolina Silvério (Diretoria Regional Centro-Oeste), Danton Barros, Wellington Bezerra Pastor (Diretor Regional Nordeste), Bruna Lorrane (Vice-presidenta/Diretoria Regional Norte), Carlos Alberto Tufvesson (Diretor Regional Sudeste) e Flávia de Figueiredo Brazil.
A Secretária Especial de Direitos Humanos, Flávia Piovesan, recebeu nesta quinta-feira (27) os representantes do Fórum Nacional de Gestoras e Gestores Estaduais e Municipais de Políticas Públicas para População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (Fonges-LGBT). O encontro foi um momento de aproximação entre a Secretaria e o Fórum. Na reunião, os representantes expuseram as principais dificuldades e questões que afetam a população LGBT nos estados e municípios que eles representam. Entre os assuntos debatidos estão a violência, empregabilidade, saúde, nome social. Além disso, foi discutido também o atual estagio de implementação do Sistema Nacional LGBT e do Comitê Nacional de Politicas Públicas LGBT.

A secretária expôs a proposta de abrir um canal de diálogo permanente com os representantes do executivo estadual e municipal, responsáveis pela pauta LGBT. Além disso, deixou claro o comprometimento de qualificar os dados produzidos pela Secretaria e extraídos de outras fontes, especialmente sobre as questões relativas à violência contra a população LGBT. A Secretária se comprometeu, ainda, a buscar articulação com os poderes Judiciário e Legislativo para promover o avanço destas pautas. Por fim, debateu também a criação de um mecanismo para dar visibilidade para as experiências bem-sucedidas que possam estar em curso em nível federativo.
 
Encontre-nos no Google+