Google lança vídeos de superação para celebrar Semana da Visibilidade Trans

A gigante da Internet se uniu à ONG para criar campanha com o objetivo de dar voz à comunidade trans nos Estados Unidos. Assista!

Publicado em 16/11/2016 às 22:21

Por Luiz Barcelos

Google lança vídeos de superação para celebrar Semana da Visibilidade Trans

Foto: Reprodução/YouTube

Jasmine quebrou tabu sendo o primeiro transexual a abrir uma loja de tatuagem na Filadélfia, nos EUA. Com o Google ela divulga seu estúdio exclusivo para pessoas trans.
O Google lançou nesta semana, uma série de vídeos em celebração à Semana da Visibilidade Trans nos Estados Unidos. A Transgender Awareness Week ocorre entre os dias 14 e 20 de novembro. O projeto é composto por três curtas que narram a vida de pessoas trans que utilizam a tecnologia para apoiar suas comunidades, construir seus negócios e trabalhar em prol de mais visibilidade.

Os filmes fazem parte da campanha #transvoices, fruto de uma parceria com a ONG GLAAD. O objetivo é mostrar, por meio das histórias, que as pessoas trans são cidadãs comuns. O trabalho também coloca em voga alguns dos principais desafios enfrentados diariamente pela comunidade.

“Durante a produção dos vídeos, decidimos que queríamos dar um tom autêntico às histórias contadas. Então, chamamos um diretor e um produtor trans, Rhys Ernst e Zackary Drucker. Boa parte da equipe que trabalhou nos bastidores também se identifica como transexuais”, explica Uglow.



Evan Young, Mara Kiesling e Jasmine Morrell são os personagens dos filmes. Evan é um major aposentado do exército americano. Após 14 anos de serviço, aposentou-se e, enquanto buscava se encontrar, descobriu a associação de veteranos trans americanos na internet. Hoje, o ex-major é o presidente da associação. “Acredito que o trabalho mais importante que realizamos, seja o de ajudar os veteranos trans a conseguir o seu nome social em seus documentos de dispensa do serviço”, reflete Evan.



O foco dos vídeos é a vida das pessoas trans e não a sua transição. “O período de transição é uma loucura. É um momento muito difícil na vida de uma pessoa transgênero,” disse Uglow. “Assim como você, as pessoas transgêneras gostariam de ser lembradas por seu trabalho, pela família que nutrem e pelas histórias que constroem”, completa.

 
Encontre-nos no Google+