Melhor destino LGBT, Rio de Janeiro elegeu bispo da Universal como prefeito

Em um dos debates, ao ser questionado se liberaria verbas para a Parada LGBT, Marcelo Crivella afirmou que o orçamento estava baixo.

Publicado em 15/11/2016 às 17:44

Por Hanna Baoli

Melhor destino LGBT, Rio de Janeiro elegeu bispo da Universal como prefeito

Foto: Arte/Gay1

Marcelo Crivella é eleito prefeito da cidade com maior turismo de LGBT do Brasil.
Enquanto em Taguatinga, cidade satélite a cerca de 20 quilômetros de Brasília, acontecia a 11ª Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Em outros estados e municípios, estava sendo realizado o segundo turno das eleições para prefeito e vereador. Em meio a caminhada, o carro de som anunciava uma das maiores derrotas para o público LGBT. Naquele momento estava concretizada a vitória de Marcelo Crivella no Rio de Janeiro.

Cidade com maior turismo de LGBT do Brasil, eleita três vezes consecutiva como o melhor destino para o público LGBT do mundo. O Rio de Janeiro elegia naquele momento o bispo que demonstrou durante os debates não ter respeito algum pelas mulheres, além de atacar pessoas LGBT. Anteriormente, um vídeo já circulava pela internet onde o candidato associa a homossexualidade a um aborto.

E foi esse o candidato escolhido para ser prefeito do Rio de Janeiro. Em um dos debates, ao ser questionado se liberaria verbas para a Parada LGBT, Crivella afirmou que o orçamento estava baixo. E como fica se o maior público do turismo da cidade não se sentir mais representado na cidade? E como fica se o público LGBT resolver não mais fazer turismo para a cidade?

Infelizmente, muitos políticos buscam fazer propostas que sejam viáveis apenas para as suas próprias convicções políticas e religiosas. E esquecem que precisam dos eleitores e turistas, no caso de muitas cidades, principalmente o Rio de Janeiro, para fazer com que a economia da cidade e/ou estado funcione. Esquecem de olhar o interesse da população. O candidato foi eleito, no entanto a maior parte dos votos na região foram brancos ou nulos. Ele foi eleito mas não pela maioria.

Eleições pelo país

Em contrapartida a derrota que os LGBT tiveram no Rio de Janeiro, em todo o país 26 candidatas e candidatos ligados à causa foram eleitos. Foram 25 vereadores e um prefeito. Segundo a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, um total de 377 candidatas e candidatos ligados à comunidade LGBT disputaram o pleito. Esse foi o maior número de candidatos já registrado pela associação.
 
Encontre-nos no Google+