Em forma de protesto, Centro da Diversidade em São Paulo muda de cor

Local trocou as corres do arco íris por uma lona preta simbolizando o luto pelo assassinatos de 27 pessoas trans só em 2017.

Publicado em 13/03/2017 às 15:13

Por Matheus Emílio
Em forma de protesto, Centro da Diversidade em São Paulo muda de cor
Foto: Reprodução/FacebookCentro de Referência e Defesa da Diversidade coberto com uma lona preta, simbolizando o luto pela vida das 27 mulheres trans assassinadas no Brasil em 2017.

Na última sexta feira (10), o Centro de Referência e Defesa da Diversidade, em São Paulo, mudou de cor: Abandonando o famoso tom do arco-íris, a instituição amanheceu coberta com uma lona preta, simbolizando o luto pela vida das 27 mulheres trans que foram assassinadas no Brasil, apenas em 2017.

Em forma de protesto, Centro da Diversidade em São Paulo muda de cor
Foto: Reprodução/Facebook

Também pelas redes sociais o Centro, lançou o seu repúdio, mobilizando e dando visibilidade à questão, que vem sendo silenciada pela grande mídia. No período da tarde, funcionários, ativistas, gestores públicos, mulheres transexuais, travestis e homens trans também se reuniram no espaço, para repudiar a violência e debater estratégias de combater a crescente onda de intolerância.

Em forma de protesto, Centro da Diversidade em São Paulo muda de cor
Foto: Reprodução/FacebookFuncionários e ativistas LGBT reunidos no Centro de Referência e Defesa da Diversidade, em São Paulo.

O CRD é um espaço de desenvolvimento social que visa oferecer acolhida, escuta especializada e atendimento prioritário a travestis e transexuais, profissionais do sexo, pessoas vivendo com HIV, lésbicas, gays e bissexuais que estejam em situação de vulnerabilidade e risco social. Desde sua fundação, em 2008, o espaço promove ações que possibilitam a inclusão social e a geração de renda, buscando o empoderamento, a autonomia e a cidadania da população assistida.

 
Encontre-nos no Google+