Polícia conclui inquérito sobre tentativa de homicídio a travesti no Ceará

Paulete foi agredida no dia 19 de março na cidade de Morrinhos e segue internada em estado grave no hospital de Sobral.

Publicado em 30/03/2017 às 12:58

Do Gay1
Polícia conclui inquérito sobre tentativa de homicídio a travesti no Ceará
Foto: Delegacia Regional de Acaraú/DivulgaçãoTravesti de 42 anos é agredida em Morrinhos, no interior do Ceará, e segue internada em hospital.

O inquérito policial da Polícia Civil do Estado do Ceará, que investigava a tentativa de homicídio contra uma travesti, ocorrida no dia 19 de março, na cidade de Morrinhos, no Litoral Norte do Estado, foi concluído e remetido ao Poder Judiciário, nessa terça-feira (28).

Segundo a polícia, as investigações, que estavam a cargo da Delegacia Regional de Acaraú, culminaram, ainda, na autuação de duas mulheres, em um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por omissão de socorro. Paulete segue internada em uma unidade de saúde na cidade de Sobral, em estado de saúde grave e em coma.

As duas mulheres eram amigas da travesti e estavam com ela no momento do crime. O trio seguia para uma festa na região, no dia 19 de março, quando a travesti foi surpreendida pelos suspeitos. Após presenciar as agressões, que culminaram com a travesti esfaqueada, as mulheres não prestaram socorro e seguiram para o evento que ocorria em um clube da cidade.

A família só tomou conhecimento que a Paulete estava agonizando na rua, após o tio da vítima abrir a porta de sua residência, por volta de quatro horas manhã, e visualizar a vítima no chão. Uma ambulância foi acionada e a travesti foi socorrida para uma unidade de saúde.

Trio preso

Os três envolvidos no crime foram presos após uma ação conjunta das Polícias Civil e Militar. No dia 20 de março, um homem conhecido por “Adriano Chupão”, foi capturado na cidade de Marco. Os demais envolvidos foram presos no mesmo dia do crime, ainda na cidade de Morrinhos. Sendo eles, um homem de 33 anos - conhecido por "Edsô"; e outro de 30 anos - conhecido por "Baratão".

De acordo com as investigações, há suspeitas que o primo da vítima estivesse mantendo um relacionamento extraconjugal com a esposa de “Edsô”. Fato que gerou uma discussão, após a travesti indagar o porquê das ameaças proferidas pelo suspeito contra o seu parente. O desentendimento, ocorrido em um bar, culminou nas agressões. Os suspeitos foram indiciados por homicídio triplamente qualificado no modo tentado.

© Portal Gay1
 
Encontre-nos no Google+