Transexual brasileira faz greve de fome para ser presa de acordo com seu gênero na Itália

Após viver 20 anos na Itália, Adriana perdeu sua permissão de residência e foi detida na prisão masculina.

Publicado em 20/03/2017 às 13:09

Gay1
Transexual brasileira faz greve de fome para ser presa de acordo com seu gênero na Itália
Foto: Reprodução/FacebookAdriana iniciou greve de fome para tentar acelerar sua transferência.

Adriana, uma transexual brasileira que vive na Itália há 20 anos, perdeu sua permissão de residência, foi detida em um centro para homens e como forma de protesto, iniciou uma greve de fome para denunciar a situação.

O Movimento Identidade Transexual (MIT) da Itália denunciou neste sábado (18) a situação da mulher que está há oito dias em greve de fome com o objetivo de ser transferida para a área feminina do Centro de Identificação de imigrantes de Brindisi, no sul da Itália, onde se encontra. A entidade não revelou o nome completo da brasileira.

O MIT informa, em comunicado, que Adriana entrou em contato para que a ajudassem com seu "pedido de ser presa junto às mulheres, protegida de discriminações e violências". A organização planeja uma uma manifestação de apoio, caso o pedido não seja atendido.

Quem uniu-se às reivindicações foi o ex-presidente da região da Apúlia, Nichi Vendola. "Quais são os direitos de uma transexual quando está presa, quanto vale sua vida, quanto pesa sua história, quanto vale sua dignidade?"

Adriana vive na Itália há duas décadas e agora, após perder o trabalho, teve a permissão de residência no país negada, segundo explicou o próprio Vendola, muito ativo na defesa dos direitos LGBT.

Por essa razão, foi presa em um centro de identificação e expulsão de imigrantes, à espera de que as autoridades estudem sua solicitação de asilo porque temem por sua segurança uma vez que retorne a seu país natal, Brasil.

© Portal Gay1
 
Encontre-nos no Google+